Templo Maçônico da Filadélfia

Sempre que ia para Nova York tinha vontade de visitar Philly (como é carinhosamente conhecida a cidade de Philadelphia), mas o tempo ficava curto e terminava por abortar a missão.

Além da minha curiosidade na gastronomia e pela grande importância histórica da cidade, cresci ouvindo meu pai contando que uma das construções arquitetônicas mais belas que ele já viu foi justamente o interior do Templo Maçônico.

Me organizei desta vez e coloquei como condição sine qua non que não poderia perder a oportunidade! Sou uma constante aprendiz dos temas de energia, iluminação, hermetismo e como já havia estado no Egito recentemente também numa busca e evolução espiritual, resolvi que era hora de conhecer o Templo.

Antes de ir, enviei um e-mail para eles perguntando se nos dias que eu estaria, haveria o tour de visitação. Essa é uma das primeiras dicas que dou se você tem curiosidade de conhecer o lugar, pois como acontecem muitas reuniões da maçonaria e eventos como casamentos e festas internas não é todo dia que abrem para visitação.

philly 01

Fachada do Templo  (Grand Lodge of PA)

As visitas guiadas ocorrem de terça a sábado e as janelas são às 10h, 11h, 13h, 14h e 15h. O tour é feito todo em inglês, então para quem não possui fluência pode atrapalhar bastante. O ingresso de adulto tem um custo de USD 15,00 e é possível adquirir no local mesmo próximo ao horário do tour escolhido.

O Templo foi desenhado pelo irmão James Windrim, um jovem arquiteto da cidade e estima-se que ele levou 5 anos para finalizar a construção, fato que culminou no ano de 1873. Dizem que custou em torno de 1,6 milhões de dólares na época. Após isso, todo o projeto do interior concebido pelo artista George Herzog levou mais de uma década até ser concretizado. Cada um dos 7 halls (salões), usados para os encontros, possuem estilos de arquitetura e designs diferentes que incluem: egípcio, renascentista, corintiano, gótico e iônico.

philly 02

Detalhes da entrada principal que impressionam e que lembram muito a arquitetura normanda do século XII

Além do Templo, a biblioteca que é onde iniciamos o tour possui uma das maiores coleções de estudos da maçonaria, algo aproximado a 30.000 itens.

philly 03

Avental de George Washington – todo bordado à mão pela esposa de Marquis de Lafayette.

O salão conhecido como Oriental Hall, foi inspirado no castelo de Alhambra (Espanha) que sofreu forte influência árabe. Já o salão gótico, possui cadeiras de orvalho feitas à mão do século 19 que lembram muito a época dos cavalheiros templários.

philly 04

Oriental Hall

philly 05

Salão Gótico

philly 06

Nos corredores que conectam às demais salas, encontramos tudo perfeitamente alinhado e muitas telas a óleo dos Grãos Mestres que passaram por ali

philly 07

A maçonaria sempre observou muito o Egito por conta dos dogmas e rituais de iniciação que consideravam particularmente interessantes. Este salão foi finalizado em 1889 e todo o design lembra as tumbas e antigos templos, tudo bem no estilo do Vale do Rio Nilo.

philly 08

Nas paredes deste salão de arquitetura normanda, estão 6 mosaicos de homens em tamanho real com vestimentas medievais que seguram cada um, as ferramentas da maçonaria como o esquadro e o compasso.

philly 09

Corinthians Hall – o maior salão do Templo, podendo acomodar cerca de 400 membros. O design remete à Grécia Antiga, e tem dizeres espalhados como FIAT LUX que significa “haja luz” e o da foto FIDE ET FIDUCIA que quer dizer “na fé e na confiança”.

philly 10

Para mim os vitrais são uma atração à parte! Esta roda em especial destaca as simbologias da Maçonaria como o olho que tudo vê, o Sol, a Lua, o selo de Salomão, a 47a Proposição de Euclides entre outros.

O tour dura cerca de 1 hora e no final é possível fazer compras de lembranças no Gift Shop ou retornar à biblioteca para conferir o acervo com mais calma.

É um turismo bem diferente, mas para aqueles que tem curiosidade sobre esse mundo, vale muito a pena!